• laedpucrio

Pibid e Residência Pedagógica: um panorama dos Editais de 2022

A partir do exposto pela Diretoria de Formação de Professores (DEB) da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) no Seminário Nacional: Pibid e Residência 2022, ocasião em que foi anunciado pela DEB o lançamento de novos editais do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (Pibid) e Programa de Residência Pedagógica (RP), apresentamos um panorama sobre as características principais destas novas edições.


No caso do Pibid, desde o seu lançamento em dezembro de 2007, esta será a 11ª edição, considerando também os dois editais específicos da modalidade Pibid Diversidade (Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência para a Diversidade); já para a Residência Pedagógica será a 3ª edição. Entretanto, desta vez, os Programas serão regidos por regulamentos específicos, diferentemente das edições de 2018 e 2020. Haverá incentivo à elaboração articulada dos Projetos Institucionais Pibid e RP no âmbito das IES, tendo em vista que são programas complementares.


Para ambos os programas, haverá seleção de até 250 Instituições de Ensino Superior através dos Projetos Institucionais, com formação de um cadastro reserva, sem priorização de áreas do conhecimento para os Subprojetos sendo possível também os Interdisciplinares. Em relação ao Pibid, os núcleos devem ser compostos por 24 licenciandos de iniciação à docência, 3 supervisores e 1 coordenador de área, podendo ter até dois licenciandos voluntários por supervisor.


Em relação ao RP, não haverá necessidade de devolução de bolsas com ônus para os residentes. Haverá redução da quantidade de discentes por professores, uma vez que os núcleos serão compostos por 15 residentes, 3 preceptores e 1 docente orientador, podendo ter até um residente voluntário por preceptor.


Para os discentes serão concedidas 30.120 bolsas de iniciação à docência (Pibid) e 30.120 bolsas de residentes (RP), todas com duração total de 18 meses, assim como a vigência dos Projetos Institucionais. Haverá, portanto, nova redução de bolsas nos dois programas e sem alteração dos seus valores, que permanecem os mesmos há mais de 10 anos. O reajuste das bolsas continua sendo reivindicado por todos os perfis de participantes, o que a Capes informou que segue tentando atender.


Seguimos acompanhando a implementação dessas políticas públicas de formação de professores, esperando que elas possam efetivamente se consolidar e se expandir para mais IES, cursos de Licenciatura, escolas-campo parceiras e bolsas e, assim, expandir também os seus profícuos resultados apontados por diferentes pesquisas.


A íntegra dos dois dias do Seminário com mais informações encontra-se gravada e disponível no canal CAPES_Oficial no YouTube (Primeiro dia; Segundo dia).


Por

Juliana Cristina Araujo do Nascimento Cock

28 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

No ano de 2012, por meio da Lei n. 12.711 – denominada lei de cotas –, foi estabelecida a reserva de vagas em instituições de ensino federais para grupos sociais específicos, em função de critérios so